Caíque Nogueira

É uma pergunta que me faz ficar pensando e pensando e pensando… Voltar no passado e mudar algo, significa abrir mão de alguma coisa que temos dentro da gente no presente, certo? Só que eu sou tão apegado a cada experiência…

Leia mais...

…que tive, apesar de boa ou ruim, que é difícil deixar pra trás e fazer diferente. Tudo que vivi já faz parte de mim. Mas lá no fundo, vem na cabeça o fato de eu ter escolhido priorizar uma segunda opção em certa altura da vida. Vou explicar: desde pequeno minha veia artística grita mais do que qualquer coisa. Só que essa vida de artista é tão complicada… Haja paixão. Foquei nela durante muitos anos e do nada, pelos meus pais e obviamente por mim, decidi usar meu gosto por entretenimento e escrita, fazer uma faculdade de Jornalismo e trazer a segurança do “Plano B”. Não que eu tenha deixado de lado o “Plano A”. Sempre estudei teatro, cinema, canto, dublagem e as emoções. Fazendo cursos e conhecendo pessoas pelo mundo. Mas em algumas fases da vida, você precisa priorizar escolhas. Nem que seja por tempo determinado. Só assim ela será bem executada. As vezes nos momentos em que estou vivendo o meu “Plano B”, me sinto no lugar errado, perdendo tempo, gastando anos da minha vida correndo atrás de algo que não quero. Mas é aí que eu volto ao meu discurso inicial: A vida é boa demais, a gente tem tempo pra fazer tudo o que tivermos vontade e toda experiência é válida. Tudo traz um aprendizado e te faz evoluir. Então apesar de as veeeezes bater aquele sentimento de “eu queria voltar atrás e focar na minha primeira opção até dar certo”, eu respiro fundo e me conforto sabendo que ainda tem um tempão aí pela frente e que tudo acontece na hora e maneira que tem que ser. Quer saber? Eu não mudaria nada. Nem aquele dia em que eu comi uma carne estragada e passei muito mal. A gente aprende até assim.